Futuro do trabalho: saiba como as empresas lidam com o futuro e de que forma têm se preparado para o mercado

24/11/22
|
Publicado por 
Redação Start

Tecnologia na rotina e saúde emocional dos gestores e colaboradores são apontados como os principais fatores do futuro

Por conta dos avanços tecnológicos e das necessidades corporativas, os novos modelos de trabalhos têm se reinventado, o que nos traz o questionamento sobre como será o futuro do trabalho. A partir deste ponto, conversamos com diversos CEO’s de grandes empresas para esclarecer aspectos relacionados aos próximos movimentos do mercado corporativo.

Segundo uma matéria publicada pela Época Negócios, com dados de uma pesquisa realizada por Robert Half, uma empresa de consultoria especializada, o período pandêmico transformou a rotina nas empresas. Outra matéria publicada pela mesma associação destaca a importância das atualizações dos colaboradores nesse segmento.

Impulsionada pela pandemia, a possibilidade de trabalhos flexíveis se tornou uma realidade entre muitos profissionais. Um dos novos termos utilizados pelas novas corporações é o chamado anywhere office, modelo de trabalho que pode ser realizado em qualquer lugar, também conhecido como os trabalhos remotos.

Podemos pensar, por exemplo, no mercado imobiliário, um mercado que amplificou seu olhar a partir da tecnologia do metaverso, que promete trazer uma relação saudável entre negócios e possibilidades positivas para o segmento. Diante disso, a eXp, primeira imobiliária digital imersiva no metaverso, oferece um diferencial tecnológico baseado na nuvem "eXp World", onde os corretores atuam normalmente como em um escritório real, porém no mundo digital. 

Para Claudio Hermolin, country manager da eXp, o metaverso é muito mais do que uma oportunidade de aumentar o ganho de tempo.  Por meio da escolha assertiva para os consumidores, ele tem o potencial de ser um espaço de interação entre os ambientes de trabalho. A eXp já está presente em mais de 22 países, com 85 mil corretores, e 100% presente no metaverso.

“Nós não temos um escritório físico, o metaverso é nosso espaço de trabalho. Ao invés de acordar todas as manhãs e se deslocar até um espaço físico, o corretor liga o computador e vai para o escritório dentro do metaverso. Por esse ambiente virtual, a gente tem a possibilidade de vender produtos do Brasil em qualquer um dos países onde a eXp está presente, assim como fazer com que o consumidor brasilerio tenha interesse em comprar um imóvel no exterior”, conclui Cláudio.

Outra empresa que vem se reinventando nesse novo modo de compreender o mercado é a Convenia, que oferece uma série de serviços para auxiliar na gestão empresarial. As atividades oferecidas vão desde a admissão digital a serviços de RH e Departamento Pessoal.

Marcelo Furtado, CEO e co-fundador da Convenia, reafirma que as mudanças estruturais no mundo corporativo foram aceleradas pela pandemia. Os processos e cultura também têm acompanhado as transformações digitais. A startup segue esse avanço fortalecendo a cultura organizacional, a melhoria dos produtos e fornecendo tecnologia para digitalizar e automatizar os processos internos.

“O futuro do trabalho promete ser ainda mais dinâmico e desafiador. Afinal, as organizações atravessam um momento ímpar para a qualificação de processos e de pessoas. Quando falamos sobre "o futuro do trabalho", isso soa como algo distante. No entanto, no universo corporativo, esse futuro já começou”, encerra Marcelo.

As características que definem o futuro do trabalho são inúmeras, como a transformação digital, um alto nível de contratações remotas ou híbridas, e a flexibilização. Além disso, as empresas têm se preocupado cada vez mais com o nível de satisfação e produtividade dos colaboradores. Outras características que também estão incluídas no cenário do futuro corporativo são questões de diversidade e inclusão entre os profissionais.

As habilidades exigidas dos profissionais do futuro se destacam a partir do foco na solução de problemas, as decisões assertivas e éticas, autogestão, colaboração, criatividade e o pensamento analítico e inovador. Outro ponto importante é a inteligência emocional e a capacidade de lidar com os próprios sentimentos e os dos outros.

A Hisnek, startup healthtech que por meio de inteligência artificial interativa, IVI, avalia a saúde emocional e bem-estar no ambiente corporativo, reafirma a ideia de que o futuro do trabalho é aliado à tecnologia. Menos rótulos e  cargos e maior preocupação com habilidades e produtividade dos colaboradores também são apontados como mais importantes no futuro próximo. 

Segundo Carolina Dassie, CEO e fundadora da empresa, uma das habilidades exigidas do profissional do futuro é que sejam autogerenciáveis e consigam trabalhar em grupo com facilidade. Algo que se torna essencial em meio ao mundo do trabalho remoto. Além disso, podemos observar cada vez mais a conexão entre sistemas e aparelhos tecnológicos, utilizados para facilitar o dia a dia dos usuários.

“Hoje, no mercado, temos várias empresas olhando diferentes nichos, entendo que a tendência é que, cada vez mais, a gente tenha mais poder, e que esses nichos comecem a se cruzar e, assim, podemos dar uma devolutiva ainda mais importante para o usuário em questão. Isso vai enriquecer cada vez mais esse acompanhamento de atenção primária, tanto de saúde física quanto de saúde mental”, aponta Carolina.

É evidente que o futuro do trabalho nada mais é do que tecnologia de facilitação da rotina dos trabalhadores e, ainda, a preocupação com a saúde mental, focando muito mais na produtividade com qualidade, obtida por meio de um profissional emocionalmente feliz e satisfeito. Profissionais que consigam desenvolver plenamente suas atividades, bem como novas habilidades, terão destaque.

Confira mais posts do Start